O Ministério Público (MP), através da Promotoria de Justiça de Defesa do Meio Ambiente de Porto Alegre, pediu a suspensão do uso do inseticida Fipronil, na modalidade foliar, no Rio Grande do Sul, na última quarta-feira, 14.

Há suspeitas de que esse agrotóxico tenha matado cerca de 400 milhões de abelhas em 200 colmeias entre outubro do ano passado e março de 2019. Conforme o Laboratório Oficial do Ministério da Agricultura (Lanagro), das 43 amostras analisadas, 38 apresentaram presença de agrotóxicos e 36% dos casos têm relação direta com o uso do Fipronil. “O fato é significativo porque, mesmo que outras tantas não concordassem com a proposição ancorada, apenas na questão de que o princípio ativo possui registro, duas das maiores produtoras reconhecem, especificamente pela mortandade de abelhas, os danos que a versão foliar do Fipronil representa”, destacou Alexandre Saltz, promotor responsável pelo pedido.

O programa semanal do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Farroupilha (Sintrafar) desta terça-feira, 20, também abordou o assunto. O matinal vai ao ar todas as terças às 7h.

Confira o programa na íntegra 

 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!