A Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural (Emater) de Farroupilha e a Secretaria do Desenvolvimento Rural realizarão uma reunião na Câmara de Vereadores no dia 1° de novembro com técnicos agrícolas para orientar os apicultores sobre a rastreabilidade dos agrotóxicos, explicando toda a composição e a maneira de aplicar nas plantações para não prejudicar as abelhas. O horário do encontro ainda não foi definido.

A técnica agrícola da Emater, Márcia George contou qual é a preocupação do órgão. “Quando existe um número elevado de agrotóxicos nas lavouras, as abelhas se alimentam disso, causando sua mortandade. A nossa preocupação é passar aos assistidos orientação para preservar através da sustentabilidade”, explicou.

O secretário do Desenvolvimento Rural, Rudimar da Silva também comentou sobre o assunto. “Nós estamos fazendo o recolhimento das embalagens, o rastreamento desses produtos e de que forma estão sendo aplicados. No momento em que acontecer essa mortandade, peço para os produtores entrarem em contato conosco”, pediu.

Recentemente o apicultor Gelso Molon afirmou que o município está atrasado em relação à solução da morte de abelhas em Farroupilha. De acordo com Molon, há necessidade das entidades investirem em mais pesquisas e análises.    

 Ouça os áudios abaixo 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!