Após três meses do início do ano letivo, o Colégio Estadual São Tiago de Farroupilha ainda está com o quadro de professores e funcionários defasado. Faltam professores para Matemática, Sociologia e Química, além de funcionários para fazer a merenda, a limpeza e para a secretaria que está fechada desde o dia 30 de abril.

A maior escola do município não é a única. O Colégio Estadual Farroupilha e a Escola Olga Ramos Brentano também estão na mesma situação. A diretora Eglai de Souza comentou que o problema ainda persiste porque, segundo ela, o salário do professor temporário é muito baixo e o contrato emergencial terminará no final do ano letivo. Mesmo estando em contato com a 4ª CRE, a diretora não acredita que a situação se resolva.

Eglai ainda criticou o governo do estado pelas promessas de campanha não cumpridas. “Para o estado a educação não é prioridade”, concluiu.

Leia também

“O que vai nortear o meu trabalho é a educação ambiental”, destaca Tiago Ilha novo secretário de Meio Ambiente

Motociclista fica ferido em acidente na RSC-453 em Caxias do Sul

Museu Casa de Pedra é inaugurado com novas estruturas e acessibilidade

Deixe o seu comentário!