A Associação de Pais e Amigos do Autista de Farroupilha (Amafa) está deixando de atender cerca de 20 alunos por falta de recursos. Conforme a presidente Elaine Bartelle, a entidade está com o turno da manhã ocioso, mas falta verba para a contratação de outros profissionais que atendam os estudantes neste período. “Eu preciso de outra equipe, mas para isso precisa dinheiro, não tem, infelizmente não tem”, enfatizou.

Recentemente a associação lançou uma campanha para buscar recursos e auxiliar nas despesas. No momento a associação atende 47 alunos e precisa de cerca de R$ 600 mil por ano para se manter.

 

A estrutura que atende os usuários conta com 850 metros quadrados e dispõe de aulas de natação, ecoterapia e assistência social.

A Amafa recebe R$ 230 mil por ano da prefeitura, tem uma parceria com a cidade de Carlos Barbosa que encaminha nove alunos e repassa R$ 100 mil, e o Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (Comdica) de Farroupilha doa R$ 30 mil para o trabalho de Ecoterapia.

O somatório destes valores chega a R$ 360 mil, o que significa 60% do valor que a entidade precisa para manter as portas abertas. Além destas doações, a Amafa conta com o apoio de entidades como Lions, Rotary e Demolay, de empresários e da população, que realizam promoções e repassam os valores para a associação.

OUÇA A ENTREVISTA NO AÚDIO ABAIXO

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!