Reunidos ontem no auditório do Hospital Beneficente São Carlos, representantes e presidentes das entidades acharam por bem não votar a proposta de tornar a instituição pública. O encontro tinha como objetivo analisar os planos vindos do executivo. Novas proposições chegaram aos documentos, fato observado com cautela pelos participantes.

Uma nova assembleia será convocada para os próximos dias, até lá os médicos se propuseram a continuar atendendo mesmo com os salários atrasados. Em entrevista ao vivo, o presidente do conselho, Márcio Rizzi garantiu continuidade nos serviços e comentou as dúvidas que ainda permanecem.

 

O Fim de Expediente também recebeu o Dr. Vitor Biazin e a diretora técnica, Eleonora Broilo que vieram a público mostrar sua opinião. Ao fim do encontro no HBSC, a reportagem ouviu o presidente da FARMED, Milton Brechane que justificou o porquê de não se votar na proposta. As entrevistas foram reproduzidas no Panorama desta terça-feira, e você as confere na galeria de áudios abaixo. 

Áudios

Deixe o seu comentário!