O Spaço Livre deste sábado, 3, recebeu como convidado o empresário, professor, escritor e palestrante Jaime Lorandi. Ao longo do programa ele abordou educação ética, educação ambiental, política e o pensar e fazer. 

Conforme o especialista, o primeiro conceito é entender que a ética não é subjetiva e nem um processo pessoal. "A ética só é válida se ela tem um pensamento universal", explicou. Ele salientou que as famílias são as principais responsáveis por ensinar a ética, principalmente na fase de criança. "A maior forma de ensinar a coisa certa é dar o exemplo", pontuou. Além disso, ela reflete  na sociedade em diversos aspectos. "Quanto mais ético um povo, mais ético seus políticos", destacou.

Durante a entrevista Lorandi também comentou que hoje no Brasil há três pessoas trabalhando para sustentar um aposentado e, por isso, é necessária uma reforma da previdência. "Quem mais é contra a previdência é os que mais ganham", criticou. 

Sobre a educação ambiental, o convidado ressaltou que o plástico é um material fundamental para a manutenção e qualidade de vida do ser humano. "O problema não é o material. O problema é a destinação que damos para este material". Atualmente 8 milhões de toneladas de plástico acabam no mar e isto se deve principalmente aos países pobres que carecem de infraestrutura para realizar a reciclagem. "Nós temos que trabalhar a educação das pessoas para que aqueles 8 milhões de toneladas não vão parar no mar, mas a gente vai continuar continuar consumindo os 350 milhões de toneladas de plástico porque eles são bons para a nossa vida", esclareceu.

Em relação à polêmica dos canudinhos e a ideia do ecologicamente correto, Lorandi afirmou que eles representam apenas 0,026% dos plásticos que consumimos. "Nós não vamos acabar com a ruindade de poluir os oceanos proibindo o uso de canudinho plástico, isso é ridículo", finalizou. 

Ouça o programa na íntegra:

Deixe o seu comentário!