FARROUPILHA
23° MÁX 16° MÍN
 |  Cidade  |  Farroupilha

Ex-dependentes químicos relatam as dificuldades para deixar as drogas

Usuários por muitos anos relatam o sofrimento enfrentado e a ajuda recebida na Fazenda Esperança

Da esquerda para direita: Daiane da Silva Nunes, Alexandre de Moraes Nunes, Daniel Ramos de Lemos, Luan Araldi e João Bonifácio | Créditos: Luís Carlos Muller
Clique no canto direito-topo para ampliar.

Alexandre de Moraes Nunes, 38 anos, é um dos internos da Fazenda Esperança há oito anos. Ele conta como entrou no mundo das drogas e quais as dificuldades que encontrou para sair delas. "Eu entrei de curioso. Era bom menino, estudava, morava no interior e vim para a cidade sem orientação da família, tive a curiosidade de conhecer esse tal de crack", explica. Alexandre relata que perdeu o casamento, amigos, estudo, dinheiro e sonhos. "Tudo o que eu tinha foi por água abaixo. Meus vizinhos, as pessoas não me reconheciam. Entrar nas drogas é a coisa mais simples, mais fácil que tem, qualquer um está oferecendo, mas para sair é uma dificuldade muito grande, é doloroso", detalhou. Passado esse período, hoje ele voltou com sua mulher Daiane da Silva Nunes e agradeceu ao auxílio recebido na Fazenda Esperança. 

Daniel Ramos de Lemos, 39 anos, também é um dos internos da comunidade terapêutica. Ele conta que ingressou no mundo das drogas muito novo. "Eu entrei nessa vida ainda pequeno, porque isso tinha dentro de casa. Hoje eu entendi que Deus na minha vida fez a diferença. Estou bem e agradeço a Fazenda Esperança por ter me acolhido", finaliza. 

Luan Araldi, 26, afirma que iniciou o uso das drogas aos 18 anos e foi dependente por uma década. Mas, foi quando seu pai, também usuário, se recuperou que ele também buscou ajuda para se livrar da dependência. "Hoje estou bem e só tenho a agradecer", conclui.

Conforme o diretor da Fazenda Esperança, João Bonifácio,  atualmente a entidade presta atendimento para cerca de 50 internos. Segundo ele, a sociedade e a comunidade farroupilhense sempre foram muito solidárias com os trabalhos e a ajuda oferecida aos dependentes. Por fim, Bonifácio lamentou não estar recebendo recursos por parte do poder público.

Confira abaixo na galeria de áudios.