Autor do sexto pedido de impeachment, Jefferson Côrtes Torres divulgou uma nota nesta quarta-feira, 4, comunicando sua saída do Partido Social Democrático (PSD).

No documento ele alega retaliação e perseguição política que ocorreu em uma reunião do partido realizada na última segunda-feira, 2, onde ele foi afastado das atividades da sigla por 10 dias.

Segundo Côrtes, o presidente do partido e vereador de Caxias do Sul, Kiko Girardi não respeitou suas palavras como cidadão e afirmou que por trás do pedido de impeachment estaria o ex-vice-prefeito do município, Ricardo Fabris de Abreu.

NOTA PÚBLICA

Hoje, 04/09 Comunico minha saída do PSD, devido a reunião que ocorreu dia 02/09 com a executiva que ficou estabelecido que Eu estaria afastado por 10 dias das atividades e representatividades de tal partido. Visto que o partido tomou posições diferentes ao acordo feito nesta reunião e no meu entendimento caracteriza "retalhação/perseguição política ".
Torno público que não faço mais parte desta legenda por perceber e entender que não representa meus ideais de uma política voltada para a comunidade de uma forma geral e ampla, sem interesses político partidarios.
Tendo em vista que o partido na pessoa do "Presidente vereador Kiko Girardi "em suas declarações não respeitou minha palavra como cidadão, tentando me coagir afirmando que estaria por trás do pedido de impeachment a pessoa do Sr Ricardo Fabris de Abreu, que exerce suas atividades na "Justiça do trabalho". Desta forma tentando enfraquecer o pedido de impeachment. Sendo assim não ficando claros seus reais interesses.

Deixe o seu comentário!