A Polícia Civil e a Brigada Militar de Farroupilha divulgaram notas de esclarecimento sobre os frequentes roubos e furtos que vem acontecendo na cidade. Os crimes tiveram um aumento significativo nos últimos dias, principalmente furto de veículos e objetos como fios de cobre e materiais de construção. Confira na íntegra o comunicado dos órgãos:

Polícia Civil

Segundo a Constituição, cabe à Polícia Militar o patrulhamento ostensivo/preventivo, sendo que na hipótese de identificar eventual ilícito, devem apresentar os fatos ao Delegado de Polícia, única autoridade com atribuição para decidir, juridicamente, acerca dos fatos trazidos ao seu conhecimento. E é o que tem sido feito. Muitas vezes, os fatos não se resumem àquilo que foi narrado pelos Policiais Militares, devendo outras diligências serem efetuadas para esclarecer o ocorrido. É critério da Autoridade Policial, caso a caso. Por exemplo, às vezes são apresentadas pessoas e objetos na repartição policial, juntamente com a narrativa da prática de um eventual crime e, aprofundada a investigação, não se comprova o vínculo entre o objeto e a pretensa vítima pelo não reconhecimento do objeto como sendo dela. E este é o papel da Polícia Judiciária, investigar. Investigação técnica e imparcial. O combate ao crime não se esgota com a apresentação de pessoas detidas na Delegacia de Polícia. Pelo contrário, este é apenas o primeiro passo. É assim que o sistema de persecução penal brasileiro funciona. Por exemplo, a Polícia Civil entende e respeita quando o Ministério Público decide não acusar alguém que foi indiciado pelo Delegado de Polícia, assim como quando o Poder Judiciário decide absolver determinado investigado. Cada órgão tem sua atribuição e é normal que funcione desse modo em uma democracia. Em linguagem simples: Não é porque a Polícia prendeu que a pessoa será condenada. Existem vários filtros. E um deles é feito pelo Delegado de Polícia no momento da prisão em flagrante. Quanto à “sensação” de segurança, embora seja o desejo de todos nós, cidadãos, esta não pode servir de pretexto para que o trabalho investigativo seja feito de forma precipitada e sem observância da Constituição e das Leis.

Brigada Militar

Aos nossos amigos da imprensa, em particular aos de Farroupilha. Os senhores sabem que esta pratica, dos furtos tem sido comum, fios de cobre, cercas, aluminios, nos bairros as comunidades 'nos cobram' bastante. Mas nosso trabalho esta aí, localizamos, identificamos e prendemos em flagrante. Mas a autoridade policial entende apenas pelo registro, e desta forma continuam furtando, invadindo propriedades, levando essa sensação de insegurança as pessoas de bem. Agradecemos a compreensão e ficamos a disposição. Major Juliano Amaral

Deixe o seu comentário!