O pré-candidato ao governo do estado, Miguel Rossetto (PT), cumpriu agenda de compromissos na Serra Gaúcha durante esta sexta-feira, 13. Acompanhado do presidente da sigla no Rio Grande do Sul, Pepe Vargas, ele participou do Fim de Expediente na Spaço FM. 

Ao longo da entrevista Rossetto destacou que está construindo o plano de governo e tem confiança no diálogo, por isso irá escutar as prioridades do povo. Além disso, ele também destaca que o objetivo é recuperar a segurança pública, a economia, pensar em um plano de educação qualificado, na saúde e na infraestrutura. "Nós queremos que o Rio Grande volte a ter um serviço público de qualidade", afirma. O pré-candidato ainda ressalta que está animado e confiante para apresentar uma proposta de futuro para que o RS volte a ter esperança e qualidade de vida. 

Outro ponto abordado por Rossetto foi quando Sartori designou o cargo de secretário da Fazenda para o deputado Giovani Feltes (MDB) e, para ele, isto foi um erro grave que desorganizou a pasta e colaborou para aprofundar a crise fiscal do RS. "O Sartori partidarizou a Fazenda. Colocou um deputado federal do MDB na Fazenda sem experiência. Quando tu coloca um deputado federal na Fazenda tem um problema de conflito de interesses muito grande", destacou. 

Em relação a prisão do ex-presidente Lula, Rossetto salientou que ficou profundamente triste. "Sofrimento de ver um lider da dimensão e dignidade do presidente Lula ser injustamente preso", explica. Pepe complementou dizendo que a prisão foi ilegal e sem fundamento. Ele ainda enfatizou que a saída da Dilma, a qual ele denomina como golpe, fez com que nesses dois últimos anos houvesse mais desemprego, crise interminável, retirada de direitos trabalhistas, congelamento de recursos para a saúde e aumento da pobreza no Brasil.

Áudios

Deixe o seu comentário!