A Câmara de Vereadores aprovou por unanimidade na sessão desta terça-feira, 13, a representação protocolada pelo presidente da Juventude do MDB, Thiago Paim Silva, que pede a cassação do mandato do vereador Sedinei Catafesta por quebra de decoro parlamentar.

Catafesta foi acusado pelo Ministério Público de ter recebido R$ 20 mil em propina na compra de um arquivo metálico para a Casa Legislativa, quando era presidente em 2014.

O requerimento foi aprovado após a leitura do parecer favorável pelo presidente da Comissão de Ética, Fabiano Piccoli. A admissibilidade do requerimento contou também com o voto favorável do próprio vereador investigado.

Após a aprovação, foi formada uma subcomissão que dará continuidade aos trabalhos. O vereador Tadeu Salib dos Santos (PP) será o relator e o vereador Deivid Argenta (PDT) o revisor. Piccoli segue na presidência da Comissão de Ética.

 

Deixe o seu comentário!