O vice-prefeito de Caxias do Sul, Ricardo Fabris de Abreu, protocolou um ofício junto à Câmara de Vereadores endereçado ao presidente da Casa, Alberto Meneguzzi, alertando sobre a falta de inclusão do precatório Magnabosco na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) para o próximo ano. Conforme Fabris, a legislação obriga que essas requisições de pagamento oriundas do Poder Judiciário sejam incluídas na LDO. “É um débito que não pode ficar fora do orçamento do município”, salienta.

Segundo ele, a dívida que gira em torno de R$ 500 milhões representa 25% do orçamento do município para 2019. Fabris afirma ainda que não apenas o Poder Executivo pode ser responsabilizado pela falta do ato administrativo, mas também a Câmara de Vereadores por não observar a questão.

Em entrevista à Spaço FM durante o Fim de Expediente desta quarta-feira, 12, Fabris contou que sugeriu ao presidente da Casa Legislativa que fosse criada uma comissão com pessoas competentes para tratar do assunto, evitando futuro prejuízo financeiro ao município referente à dívida e corrente cobrança de juros de mora.

Confira a entrevista no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!