Tem momentos do dia que explodimos em estresse, tristeza, raiva, e aí... bum!!!! Aconteceu!

Sim, algum evento que desencadeie esse momento de desespero pode ser um gatilho para desenvolver a síndrome do pânico, um problema que ficará com você para sempre. Sem cura, ele apenas pode ser aceito e a pessoa tem que aprender a conviver com terapia e auxílio de medicamentos.

Como saber se estou para ter um ataque de pânico ou quais os sintomas?

Os principais sintomas são a sensação de perigo iminente, medo da morte ou de uma tragédia, dormência e formigamento nas mãos, nos pés ou no rosto. Ainda, palpitações, ritmo cardíaco acelerado e taquicardia, sudorese e tonturas.

Sim, chega-se ao ponto de parecer que a pessoa está tendo um ataque cardíaco devido a aceleração das palpitações do coração. Mas não, é pânico.

Mas, como acontece uma situação de pânico na vida de alguém?

Isso é desencadeado principalmente por situações, locais ou fatos que viraram um trauma na vida de quem passou por algo assim. Situações de extrema tristeza, o chamado "baque" por causa de algo ou de alguém, um momento traumático que "ligou a chave" da adrenalina e voltou em forma de pânico.

E tem cura?

Bem, conforme muitos profissionais de psicologia, não existe cura e sim, tratamentos específicos com auxílio de medicamentos e terapias. Assim, a pessoa aprende a conviver com a síndrome do pânico.

Fazendo isso, a vida volta ao normal no trabalho e em família.

Consulte auxílio psicológico e tenha uma vida com mais qualidade. Afinal, ficar trancado em casa por síndrome de pânico não é saudável.

 

Leia Também

Deixe o seu comentário!