Em tempos de coronavírus, o álcool gel 70% virou item básico para quem precisa sair de casa, para o trabalho ou em outros locais para a assepsia das mãos. Mas o uso excessivo poderá causar problemas nas mãos. Além disso, especialistas em saúde recomendam água e sabão como um asséptico melhor que o produto.

O uso do álcool gel ajuda a diminuir a propagação de vírus e bactérias, principalmente no inverno, que chegará em breve, onde a incidência das doenças respiratórias aumenta. Porém, de acordo com a presidente da Sociedade Brasileira de Dermatologia – Secção RS (SBD-RS), Clarissa Prati, o produto exige cautela no seu uso para evitar problemas na pele. "O uso do álcool gel é recomendado por ser muito potente e possuir forte ação germicida mas deve ser usado com parcimônia, pois pode prejudicar a pele das mãos, causando ressecamento, eczema e vermelhidão. Para evitar isso, o ideal é lavar as mãos e hidratá-las. Também deixar o álcool gel para uso quando não é possível utilizar água e sabão ou ainda em situações especiais, como em ambientes hospitalares", explica.

Procure não deixar o produto acumulado em anéis e pulseiras ou entre os dedos. Use pequena quantidade e, sempre que possível, hidrate as mãos lavando com água e sabão.

Fonte: SBD

Leia Também

Deixe o seu comentário!