Cantor, compositor e instrumentista dos bons, Joe Euthanázia, desconhecido para muita gente hoje, ele ficou famoso por trabalhar com grandes nomes e também por lançar o hit "Me leva Pra Casa".

Na verdade, Joe Euthanázia era Zezinho Athanásio. Nascido em Porto Alegre, iniciou a carreira em meados da década de 1970, participou de festivais "Musi-PUC" em 1975, e em 1976 ganhou a famosa Califórnia da Canção Nativa, o mais tradicional festival nativista do Rio Grande do Sul, na linha folclórica, em parceria com Jerônimo Jardim (autor de Purpurina, vencedora do Festival MPB-81, na interpretação de Lucinha Lins).

Pois a mudança de estilo chegou nos 80, após ir morar no Rio de Janeiro, onde lá, passou a adotar o nome artístico de “Joe Euthanásia” ou simplesmente “Joe”.

Na capital fluminense, Joe trabalhou com artistas de expressão como Ivan Lins, Lobão, Neuzinha Brizola e até fez composições infantis (inclusive letras para a Xuxa), além de ser músico de apoio nos estúdios de gravação.

Compôs a letra da música "Mintchura", (interpretada por Neuzinha Brizola), também "Tudo pode Mudar" e "Johnny Love" (sucessos da banda Metrô), além das famosas "Me leva pra Casa" e "Na Selva das Cidades" (Tema de novela da globo).

Lançou em 1983 o álbum "La Mujer Ingrata" pela CBS, e en 1985, o álbum “Tudo Pode Mudar”, pela RCA, razão pela qual a gravadora o promovia colocando-o para cantar com o Trem Tic-Tac do Amor.

Em 1989, lançou seu último álbum “Joe” pela Gravadora Eldorado, e trabalhou paralelamente na produtora de áudio Plug.

Morte

Joe teve um fim trágico. Na madrugada de 21 de dezembro de 1989, sofreu um acidente de carro em Porto Alegre (RS) quando voltava para sua casa.

Discos lançados

1843 - La Mujer Ingrata
1984 - Me Leva Pra Casa (compacto)
1985 - Que delícia de rock
1985 - Tudo pode mudar

Leia Também

Deixe o seu comentário!