Agora aposentada e, segundo ela, curtindo a vida, Tina Turner deixou um legado sem igual em suas características de mulher cheia de poder e que dominava os palcos por onde se apresentava com sua voz marcante e figurinos sem igual.

Anna Mae Bullock, conhecida pelo nome artístico de Tina Turner nasceu em Nutbush, estado do Tenessee nos Estados Unidos em 26 de novembro de 1939.

Essa senhora oitentona é cantora, compositora, dançarina e atriz suíça. Sim, suíça pois ela renunciou à cidadania estadunidense em 2013, alegando não possuir mais nenhum laço afetivo e social com os Estados Unidos, pois não viaja para seu país de origem há muitas décadas, já que sua família sempre a visita na Suíça, onde vive desde 1995, na cidade de Küsnacht com o marido Erwin Bach, local que revelou ser sua casa e que não pode se imaginar em outro lugar melhor que a Europa.

Seu primeiro contato com a música foi como cantora do coral de uma igreja batista que frequentava ainda quando criança.

É considerada dona de um das mais belas e viscerais vozes do cenário musical, além de ser reconhecida por suas memoráveis coreografias em seus shows. É conhecida por ser a lenda viva do rock'n roll, e uma das maiores e melhores cantoras mundiais e está no ranking das dez cantoras mais ricas do mundo.

Tina Turner é considerada "A Rainha do rock 'n roll", sendo a artista feminina mais bem-sucedida nesse gênero, tendo vencido 12 vezes o Grammy Awards, e vendido mais de 200 milhões de cópias no mundo todo. Também é uma das artistas que mais arrecadou em bilheterias por suas turnês na história. A revista Rolling Stone classificou Tina Turner como uma das "10 Maiores Artistas de Todos os Tempos".

História

Embora Tina Turner tenha começado a cantar em 1955 na banda The Kings of Rhythm, ela só iniciou profissionalmente sua carreira musical em 1958, quando a banda ficou conhecida e passou a ter investimentos de produtores, mas a artista só ganhou fama a partir de 1960, quando a banda se desfez e Tina se tornou membro da dupla Ike (marido) & Tina Turner, emplacando hits que ficaram mundialmente famosos, como "A Fool in Love", em 1960, e "River Deep - Mountain High", em 1966. Em 1974 iniciou o que seria o paralelo para sua futura carreira solo, com alguns trabalhos indepentes como "Tina Turns the Country On!" (1974) e o com principal destaque "Acid Queen" (1975) fazendo parte da trilha sonora do grande ópera rock versão filmografia "Tommy".

Em sua autobiografia "I, Tina", publicada em 1987, Turner revelou humilhações e agressões físicas sofridas por seu então marido, Ike Turner. Após seu divórcio em 1978, Tina conseguiu reconstruir a sua carreira aos poucos em meio a desafios e multi estilos musicais da época, lançando álbuns como "Rough"(1978), "love Explosion"(1979) e já entrando na peculiar década de 80 o seu trabalho "Ball of confusion"(1982) através de performances ao vivo, marcadas pela sua enérgica presença de palco e seus poderosos vocais.

Seu retorno ao cenário musical de grande sucesso e estrelato só se deu com o lançamento do single "Let's Stay Together" (1983), seguido pelo lançamento do seu quinto álbum solo de estúdio, "Private Dancer" (1984), que se tornou um sucesso mundial. O single de maior sucesso, que levava o mesmo nome do álbum "What's Love Got to Do with It", foi usado como título do filme baseado em sua autobiografia de 1993.

A sua carreira musical, também a levou a vários papéis de destaque no cinema, como no filme "Tommy" (1975) e uma aparição no filme Mad Max Beyond Thunderdome (1985).

Tina veio para o Brasil em 1988 e entrou para o Guiness Book, o livro dos recordes, como o maior show já feito por uma cantora solo. A artista reuniu cerca de 182 mil pessoas no Maracanã, no Rio de Janeiro para ver sua apresentação da turnê de "Break Every Rule". O show foi transmitido para todo o mundo.

Em 2000 anunciou sua aposentadoria, informando querer descansar sua imagem e também dedicar-se mais a família, e por conta da idade, quando viajava muito e dormia pouco.

Após oito anos, decidiu, em 2008, voltar aos palcos para um último show com grande público, em comemoração aos seus cinquenta anos de carreira. Desde 2008 diz estar oficialmente longe dos palcos, mas não da música, que é sua grande inspiração, cantando até hoje em pequenos eventos pela Europa.

Ainda em 2020, Tina Turner tem uma bela homenagem na Broadway, o musical "The Tina Turner Musical", que é inspirada na vida da cantora e teve estréia nos 80 anos da cantora, em novembro de 2019.

Discografia

Tina Turns the Country On! (1974)
Acid Queen (1975)
Rough (1978)
Love Explosion (1979)
Private Dancer (1984)
Break Every Rule (1986)
Foreing Affair (1989)
Wildest Dreams (1996)
Twenty Four Seven (1999)
Beyond: Buddhist and Christian Prayers (2009)
Children Beyond (2011)
Love Songs (2014)
Love Within: Beyond (2014)
Awakening Beyond (2017)

Turnês
Australian Tour (1977)
The Wild Lady of Rock Tour (1978-79)
Nice 'n' Rough Tour (1982)
1984 World Tour (1984)
Private Dancer Tour (1985)
Break Every Rule World Tour (1987-88)
Foreign Affair: The Farewell Tour (1990)
What's Love? Tour (1993)
Wildest Dreams Tour (1996-97)
Twenty Four Seven Tour (2000)
Tina!: 50th Anniversary Tour (2008-09)

Filmes
1971 Taking Off
1975 Tommy
1978 Sgt. Pepper's Lonely Hearts Club Band
1985 Mad Max Beyond Thunderdome
1993 What's Love Got to Do with It
2004 The Goddess

Documentários
1966 The Big T.N.T. Show
1970 It's Your Thing
1971 Soul To Soul
1972 CS Blues
1993 Girl from Nutbush
2000 Ally McBeal

Leia Também

Deixe o seu comentário!