Os trabalhadores da cultura inscritos na Lei Aldir Blanc deverão protocolar os seus projetos no setor de compras da prefeitura de Farroupilha para receberem os R$ 515.170,78 destinados à classe por conta da pandemia.

Conforme o diretor de Cultura, Raphael Felipe Giacomoni, o município trabalhará com dois incisos da lei. Um deles é destinado a até 20 espaços culturais, que vão receber até duas parcelas de R$ 7,5 mil. “Então nós vamos ter 11 espaços que vão receber duas parcelas de R$ 3 mil. Cinco espaços que vão receber duas parcelas de R$ 5 mil, e quatro espaços que vão receber duas parcelas de R$ 7,5 mil. Eles vão se inscrever na chamada pública, comprovar os seus gastos e partir disso vão receber recursos para a manutenção dos seus espaços”, explica.

No outro inciso, haverão chamadas públicas para a decoração de Natal na cidade, atendendo os artesãos. Ao todo, serão contempladas 16 iniciativas, sendo que cada uma alacançará R$ 5.250 mil.

Ainda terá a possibilidade da realização de 20 projetos de cursos artísticos, culturais e shows humorísticos. O valor disponível é de R$ 2,3 mil por iniciativa. De acordo com Giacomoni, ocorrerão 36 shows musicais, nos quais os projetos terão disponibilizados R$ 3.244 mil. “Essas pessoas também estarão com uma produtora. Serão quatro produtoras contratadas. Elas farão um total de 14 produções cada uma e receberão um total de R$ 19.592 mil”, esclarece.

Dificuldades em meio a pandemia 

Para o músico Luís Carlos Zeni Júnior, a contribuição chegou em uma boa hora para a classe, uma vez que tem sido complicado para o artista se sustentar em meio às dificuldades de apresentação em lugares públicos por conta da pandemia. “A arte é uma troca de experiências e energias do artista com o público e essa falta de interação com o público mexe com a gente”, comenta.

A artesã Ana Maria Cerioli Gasperin destaca que sua produção caiu muito desde o início da pandemia, porque há também um impacto emocional, além das dificuldades financeiras. "Vamos tentar trabalhar de uma forma que a gente consiga englobar todas as artesãs do grupo e que a gente consiga mostrar um pouco do nosso trabalho. É muito importante", pontua sobre a Lei Aldir Blanc. 

Já a produtora musical da Renata Lovatti teve uma perda na receita de 100% em meados de março, no início da covid-19 no Brasil. "A gente entrou bastante na parte de lives, então conseguimos dar uma reviravolta e agora com essa ajuda da Aldir Blanc vamos conseguir ajudar mais pessoas. A gente vai conseguir se reinventar com isso", ressalta.    

OUÇA OS ÁUDIOS ABAIXO 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!