O empresário e diretor do Hotel e Restaurante Bem-Te-Vi, Rudinei Galafassi, comentou sobre a falta de público no complexo de Caravaggio durante a 141ª Romaria de Nossa Senhora de Caravaggio que ocorreu de forma virtual.

Segundo Galafassi, os três dias do evento poderiam equivaler a dois meses de faturamento na sua empresa. “Não se vê como prejuízo, e sim como falta de injeção de lucro”, avaliou.

O empresário destacou que essa é uma romaria para entrar para a história, já que é a primeira vez que ocorreu sem público. Por outro lado, também para ser esquecida, porque é um momento de pandemia de coronavírus. 

Conforme Galafassi, não há uma lição para se tirar, mas ao longo dos dias refletirá o que aprendeu com a situação. “Isso nos faz sermos mais humildes e solidários”, contou.

OUÇA O ÁUDIO ABAIXO 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!