O secretário de Gestão e Desenvenvolvimento Humano, Vandré Fardin e o chefe de gabinete, José Adamoli, participaram de uma entrevista durante o programa Fim de Expediente de quarta-feira, 19, e esclareceram algumas informações em relação às manifestações do presidente da Câmara de Vereadores de Farroupilha, Thiago Brunet, da presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Farroupilha (Sismuf), Beatriz Sosnoski, e do vice-presidente Diego Tormes, sobre a reforma administrativa aprovada em 2013.

Eles explicaram que Brunet acabou misturando a situação do governo do estado com a da administração de Farroupilha. “Houve assim uma grande confusão. Primeiro da conversa que o presidente da câmara colocou e traçou um paralelo do estado”, destacou Fardin.

Sobre as colocações da diretoria do sindicato o secretário desmentiu e tranquilizou os munícipes. “A população não pode escutar o que o sindicato falou e entender que o fundo municipal está com problemas”, destacou. Para Fardin a situação está dentro da normalidade e o fundo municipal está crescendo, pois no início do governo Claiton no fundo havia R$ 109 milhões e atualmento o valor é de R$ 210 milhões. "Estamos fazendo gestão", enfatizou.

O chefe de gabinete destacou que as manifestações dos representantes do Sismuf são inverdades. Adamoli relembrou que em 2005 existia mais de 300 cargos de comissão e atualmente são 127. "Estamos aqui olhando de uma forma imparcial, com dados que comprovam isso, então o nosso pedido é um diálogo com a comunidade de Farroupilha para não deixar que uma falsa verdade contamine as relações da sociedade com o governante", pontuou.

OUÇA A ENTREVISTA NO ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!