A presidente do Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Farroupilha (Sismuf), Beatriz Sosnoski, e o vice-presidente Diego Tormes, responderam os apontamentos do presidente da Câmara de Vereadores, Thiago Brunet, sobre a reforma administrativa, que foi aprovada por unanimidade pelo Legislativo em junho de 2013. Ele havia afirmado em recente entrevista para a Rádio Spaço FM que a saída para a atual situação financeira do município seria a retirada de auxílio aos servidores. “Só tem uma maneira de não comprometer futuros pagamentos dos servidores, é cortando benefícios”, declarou.

A diretoria do Sismuf salientou que o município paga de previdência para os servidores concursados 25,40%, sendo que para cargos de confiança, CLT e contratados o valor é de 28%. “Se agora eles querem retirar benefícios, eles querem desvalorizar o servidor. Se o nosso fundo não tem dinheiro é porque os gestores não se preocuparam com ele”, comentou.

Tormes também relembrou que a obra de asfaltamento do anel viário, no centro da cidade, realizada na administração do prefeito Paulo Dalzochio foi feita com dinheiro do fundo de aposentadoria dos funcionários. “Falta gestão, não é culpa do funcionário público”, enfatizou.

Em um trecho da entrevista Brunet comenta sobre triênio. Beatriz explica que essa prática não é aplicada aos servidores. “Nós nunca tivemos triênios, eu acho que o presidente da câmara precisa se informar melhor”, declarou.

OUÇA A ENTREVISTA NO ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Deixe o seu comentário!