O Observatório Social de Farroupilha, que está atuando no município há quatro meses, apresentou seu primeiro relatório de atividades na última quinta-feira, 27. Na ocasião foram apontadas ao menos três licitações.

O presidente do órgão, Carlos Alberto Paesi comentou os valores que foram economizados pela administração neste período. “O nosso trabalho permitiu que o poder público municipal deixasse de gastar R$ 3 milhões”, destacou. O presidente contou ainda que o município teve uma economia direta de R$ 67 mil.

A primeira delas seria para a compra de 15 mil livros didáticos no valor de R$ 2,1 milhões. As três empresas que entraram no processo licitatório eram da cidade de Fortaleza. Com isso a prefeitura cancelou a compra.

Outro dado apresentado pelo órgão foi sobre a compra de kits de robótica no valor de R$ 950 mil. A empresa vencedora do processo no município foi a mesma que ganhou outra licitação na cidade de Cabedelo, no estado da Paraíba. Os integrantes do Observatório explicaram que os dados eram exatamente os mesmos nas duas cidades. Outro apontamento foi para itens com peculiaridades injustificáveis. Assim, esta compra também acabou sendo cancelada.

Ainda no relatório foi apontada uma licitação de ar-condicionados que seriam comprados para a prefeitura e para a Câmara de Vereadores. Neste caso apenas um fornecedor teria os itens solicitados pois, conforme o Observatório, um aparelho custaria R$ 14 mil e o preço normal era de R$ 8 mil.

O secretário de Gestão e Desenvolvimento Humano, Vandré Fardin opinou sobre a apresentação e ressaltou a importância do observatório, mostrando que a administração está no caminho certo. “A gente sai satisfeito com alguns dos relatos aqui apresentados. O Observatório tem que estar aqui, tem que estar ajudando e tem que estar passando as suas dúvidas que a gente também nos avalie a cada dia que passa”, pontuou.

OUÇA AS ENTREVISTAS NOS ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Deixe o seu comentário!