O programa Fim de Expediente desta quarta-feira deu espaço para a situação econômica do país, o presidente do SIMPLÁS, Jaime Lorandi, criticou a proposta de aumento e criação de impostos. “A CPMF para mim é apenas um ‘Melhoral’ para diminuir a dor de cabeça de alguém que está com o braço cortado, com hemorragia, ou seja, não vai adiantar nada” declarou o Lorandi. O empresário ainda comentou que virá uma “chuvarada de impostos” para os próximos anos, e culpou a facilidade de aumento da tributação à Constituição de 1988, que dá direitos não submissos a arrecadação. No ano em que foi aprovada a atual constituição, a carga tributária correspondia a 20% do PIB, hoje, este valor ultrapassa a 36%, somando com o aumento do PIB, os tributos aumentaram 170% neste período, informou Lorandi. Todo o dinheiro para a arrecadação não é submisso a questões como saúde e educação, para o empresário, todo o valor acaba sendo usado para sustentar a máquina pública. 

Áudios

Deixe o seu comentário!