Normalmente os pais acreditam que as crianças não estão atentas ao que se passa no mundo adulto. Mas, bem pelo contrário, às vezes elas estão muito mais antenadas do que seus responsáveis sobre o que está acontecendo ao seu redor. Por isso, desde cedo é fundamental ensinar boas práticas para os pequenos.

Após um convite de uma diretora escolar para uma conversa informal com crianças, a proprietária do Centro de Formação de Condutores de Farroupilha, Natalina Silvestrin, percebeu que poderia conscientizar os pequenos para que os adultos tenham mais responsabilidade no trânsito. Natalina conta que se sensibilizou e, passados 15 dias deste primeiro contato, ela foi surpreendida durante um almoço em um restaurante da cidade por uma criança que se sentou no seu colo e começou a chorar, dizendo que sua mãe falava ao celular enquanto dirigia.

O fato aconteceu em 2014 e sensibilizou Natalina, que no ano seguinte reuniu uma equipe de voluntários e iniciou um projeto dentro de escolas do município, a convite da própria Secretaria Municipal da Educação. Dentro da pasta já estava sendo iniciado um trabalho idealizado pelo empresário Roberto Pagno com o personagem Jhonny Lantejola, o qual acabou sendo adaptado para a junção dos dois projetos e o início do ‘Cuidar da Vida’.

Como forma de chamar ainda mais atenção das crianças, também foram criados os mascotes chamados Faixinha, Sinalzinho, Pintadinha e a Profe do Trânsito, interpretada por Natalina. Para este ano mais personagens foram incluidos no projeto o Skate, a Bike e o Roller e agora eles interagem com os pequenos. “A criança diz pro pai não falar no celular, ele não vai falar. O pai vai pensar duas vezes antes e a criança vai crescendo com essa mentalidade”, salienta Natalina.

A iniciativa vem sendo realizada desde 2015 com crianças de seis a 10 anos. Os personagens se produzem para entrar em cena e os voluntários preparam a apresentação que conta com músicas, danças, jogos, encenação e histórias contadas para conscientizar as crianças no trânsito. Logo que os alunos chegam ao local da apresentação, a Profe do Trânsito interage imediatamente com as crianças, pedindo um abraço coletivo. Desta forma, ela já ganha a confiança dos pequenos e pergunta se eles acreditam que uma planta tem vida e se precisa de cuidados.

A analogia é feita com a prudência que devemos ter para preservar a vida, ensinando as crianças como devem se comportar e auxiliar seus responsáveis para agirem corretamente quando estão dirigindo ou caminhando pela rua. A partir disso, as crianças começam a participar de um jogo de perguntas e respostas, nesta parte entram os personagens Pintadinha e Jhonny Lantejola, que competem contra as crianças. São cerca de 10 perguntas que são feitas para os alunos e uma dramatização é realizada pelos personagens.

Entre elas estão a simbolização das cores do semáforo, como atravessar a rua de forma segura e assim por diante. A interação entre os voluntários, personagens, professores, direção escolar e as crianças é total, ao som de músicas que as estimulam a terem consciência, por exemplo, para que os pais não atendam o celular enquanto dirigem e, se atenderem, que estacionem primeiro.

Em 2017 o projeto atendeu mais de oito mil crianças em Farroupilha e Caxias do Sul, nas escolas públicas e particulares. O projeto recebe diversas homenagens por onde passa e também concorre a prêmios em âmbito nacional. Para Natalina, a sensação é ótima após o trabalho realizado em uma tarde dentro das escolas. “É gratificante, a gente recarrega as energias. As pessoas pensam que a gente sai daqui cansado. Não é cansaço, é feliz. Porque aí tu nota a energia e tu nota a alegria nos olhinhos deles. As escolas interagem junto e a gente faz isso com coração”, finalizou.

OUÇA A ENTREVISTA REALIZADA COM NATALINA

Áudios

Deixe o seu comentário!