Em entrevista coletiva, o governador gaúcho Eduardo Leite anunciou na manhã desta segunda-feira, 16, a suspensão das aulas da rede pública de ensino do Estado a partir da próxima quinta-feira, dia 19 de março, seguindo até o início de abril.

Leite disse que até agora tudo está dentro das providências tomadas pelo governo para retardar o avanço do vírus e, assim, não criar um colapso no sistema de saúde do estado, e que não há motivo para pânico. "O importante é mantermos o número de casos dentro da capacidade hospitalar", disse Leite.

Nesta terça-feira, 17, e quarta-feira, 18, as equipes da Secretaria da Saúde e da Educação vão se reunir para passar as diretrizes às instituições de ensino para que a suspensão ocorra com o mínimo de  transtorno possível aos alunos e aos pais e para programar como as escolas operarão durante a paralisação. Nesse período, as escolas vão passar orientações sobre prevenção para pais e alunos. O governo também ressalta que, neste período de duas semanas, os alunos receberão tarefas para serem feitas em casa e que, por enquanto, não está prevista a antecipação das férias.

Na mesma oportunidade, o chefe do executivo gaúcho disse que vai enviar para a Assembleia Legislativa um projeto de lei que prevê a contratação emergencial de funcionários da saúde.

Já na rede de ensino privado, o Sindicato dos Professores do Ensino Privado do Rio Grande do Sul encaminhou hoje um ofício às representações patronais solicitando a suspensão imediata das atividades letivas e dispensa de comparecimento dos professores aos locais de trabalho.

Leia Também

Deixe o seu comentário!