A falta de estrutura que as escolas possuem para a prática de esportes e preparação dos alunos para competições esportivas vem sendo discutida por professores de educação física da rede municipal de Farroupilha. A modalidade de atletismo dos jogos estudantis teve que ser realizada mais uma vez no Centro Esportivo do Sesi em Caxias do Sul, pela falta de uma pista olímpica no município. Em entrevista à Spaço FM eles relatam que além de um espaço apropriado para a prática do esporte, as escolas enfrentam dificuldades na aquisição de materiais e equipamentos para os alunos realizaram as atividades. Conforme os professores, muitas escolas não possuem bolas específicas para vôlei, basquete, handebol e futsal. Faltam ainda equipamentos para a prática de atividades de solo como colchões, bambolês, cordas e caixa de areia.

A professora Anelize Brambat Nor, da Escola Municipal Ângelo Chiele, lamenta a falta de apoio da Secretaria de Educação e ressalta que o pouco material que a escola possui vem através da ajuda dos pais e da contribuição do Círculo de País e Mestres (CPM). "A gente dá o nosso jeitinho de professor de educação física”, comentou.

De acordo com a secretária de Educação, Elaine Giuliato existe um acordo entre a secretaria e as direções das escolas que diz que a compra desses materiais esportivos são de responsabilidade das diretoras. Ela explicou ainda que os recursos são encaminhados diretamente para as escolas através do Programa Dinheiro Direto na Escola (PDDE), no qual a direção tem a total liberdade de investir tanto na estrutura da escola, como na compra dos equipamentos. Ela admite a possibilidade da secretaria intervir se houver a necessidade, mas isso somente será possível após um novo acordo.

O subsecretário do Esporte, Lazer e Juventude, Adriano Colferai também comentou sobre as dificuldades.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!