A direção do Colégio Estadual São Tiago e Estadual Farroupilha, em entrevista nesta quinta-feira, 1º de outubro, comentou sobre um possível retorno das atividades presenciais e demostrou preocupação com a segurança da comunidade escolar.

Com a sinalização do governador Eduardo Leite sobre a permissão do retorno das aulas presenciais no ensino médio inicialmente para o dia 13 de outubro e agora para o dia 20, as diretoras destacaram a falta de estrutura do estado para garantir um protocolo de segurança com a saúde dos alunos, professores e funcionários.

Para a diretora do Colégio Estadual São Tiago, Eglai de Souza, a escola vem trabalhando no sistema remoto e com resultados positivos. Ela ressaltou ainda a preocupação dos pais com a segurança dos filhos, onde uma pesquisa registra que 65% dos alunos não devem retornar. “O quadro é de muita expectativa, mas estamos com bastante restrições”, declarou.

Para a diretora do Colégio Estadual Farroupilha, Elezita Ferrari, o retorno programado para o dia 13 traz preocupação pelo fato de que ainda não se sabe o índice de alunos que devem retornar. Ela explicou que uma pesquisa realizada junto aos pais e aos alunos confirma que mais de 60% são contra a volta das aulas presenciais.

Elezita justificou que apesar da escola estar preparada para este momento, existe a preocupação da data, pois não há uma segurança para o efetivo retorno. “Apesar de um plano estar pronto, a gente vê que há muitas necessidades para receber os alunos com segurança”, alertou.

Conforme a diretora, não houve um retorno certo e preciso por parte do estado, principalmente com os recursos humanos. Materiais e insumos também não chegaram para nas escolas e essa é outra preocupação das diretoras.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!