A aprovação do Projeto de Lei (PL) 35/2021, que altera a legislação de 2011, o qual autoriza o município fazer convênio com escolas de educação infantil e comprar vagas, foi questionado pelo presidente do Sindicato dos Servidores Municipais de Farroupilha (Sismuf) Diego Tormes.

O que chamou a atenção do presidente é que esse projeto também autoriza o município a fazer convênio com instituições do ensino fundamental para a compra de vagas.

Tormes estranhou o fato do Executivo não debater esse assunto com os representantes do Conselho do Fundeb, e tão pouco no Conselho Municipal de Educação. Ele ressaltou que a justificativa do projeto para essa compra de vagas não estão claras.

O presidente do sindicato questionou o discurso dos gestores, quando argumentam que há dificuldades de recursos para atender o que é público, "mas como que agora há recursos para comprar vagas nas escolas privadas?”, pontuou.

Outro fato alertado por Tormes é de que a educação do ensino fundamental é compartilhado entre município e estado, portanto é necessário que o governo do estado também faça a sua parte. "Afinal de contas estamos falando de dinheiro público”, salientou.


O presidente ainda comentou sobre o projeto da atual administração enviado para a Câmara dos Vereadores que prevê a contratação temporária de 200 professores.

Tormes explicou que em todas as movimentações relacionadas as servidores públicos municipais, o sindicato está envolvido, mesmo que em virtude da pandemia alguns temas que estavam sendo discutidos foram adiados.

Ele também relembrou algumas questões sobre a aprovação de uma reforma administrativa em 2013, onde o Sismuf alertou a prefeitura sobre alguns problemas que poderiam ser evitados.

Tormes destacou que o sindicato está ao lado da gestão para que ela não siga pelo caminho errado. “Nós não queremos quebrar a empresa que paga os nossos salários”, alertou. Ao final Tormes comentou que faltam pontos neste projeto que precisam ser repensados.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!