As diretoras da Escola Dei Bambini e do Centro de Atividades de Contraturno Bambuluá, Claudia Bassanesi Maggioni e Siliane Marchetto, afirmaram que as escolas infantis particulares estão preparadas para o retorno das atividades presenciais.

Durante entrevista no Fim de Expediente desta terça-feira, 1º de setembro, elas informaram que os protocolos de segurança de várias instituições estão aprovados pelo Comitê da Educação (COE). “Ele (governador) abriu três brechas de decisão. O prefeito decide, depois a escola decide se abre e depois os pais decidem se enviam a criança”, explicou Claudia.

Siliane destacou que neste período muitas mulheres tem cuidado de crianças em suas casas, locais onde não há fiscalizações. “Isso acaba acarretando em uma profissão informal, sem protocolos”, esclareceu.

Conforme a prefeitura, em quase seis meses o município teve 58 casos e nenhum óbito em crianças de zero a nove anos. O governador Eduardo Leite (Psdb) sugeriu o retorno presencial a partir de 8 de setembro nas escolas infantis da rede particular. A decisão em Farroupilha depende do prefeito Pedro Pedrozo (PSB), que deixou para o Comitê de Atenção ao Coronavírus avaliar. Não há previsão para o possível retorno.

OUÇA O ÁUDIO ABAIXO 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!