A mãe de um aluno do Instituto Federal do Rio Grande do Sul Campus Farroupilha, Cláudia Bassanesi Maggioni, em entrevista para a Rádio Spaço FM durante o programa Fim de Expediente desta segunda-feira, 19, declarou que está em busca do retorno das aulas presenciais na instituição. “Eu como mãe entrei com uma ação no Ministério Público exigindo aula”, declarou. De acordo com ela, é inadmissível o não retorno das atividades. Cláudia, que é diretora de uma instituição particular que atende crianças da educação infantil, afirmou que falta de planejamento do Ifrs e isso também é um problema para as famílias, já que somente a cerca de 30 dias o instituto retomou as atividades de forma on-line. Ela também comentou que não obteve respostas pertinentes sobre a situação do ano letivo de seu filho e da instituição como um todo. Desta forma, ainda não sabe de forma concreta qual será o prejuízo educacional que estes alunos irão ter.

Ela citou algumas críticas que recebeu sobre a reabertura das atividades de sua escola, onde pessoas teriam afirmado que seria mais fácil o retorno por ser uma instituição particular. Cláudia destacou que todas as escolas estaduais e municipais também deveriam abrir suas portas com todos os cuidados de saúde, como as particulares que estão seguindo os protocolos de saúde. A diretora enfatizou que todas as crianças se cuidam muito mais que os adultos e trocam as máscaras quando solicitado, além de utilizarem produtos de higienização em seus materiais, mãos e calçados. “Isso não é caro, as famílias podem mandar na mochilinha da criança”, pontuou.

OUÇA A ENTREVISTA NOS ÁUDIOS ABAIXO

Áudios

Deixe o seu comentário!