A produção de milho e uva foram as culturas mais atingidas pela longa estiagem que abateu a região da Serra nos últimos meses. Conforme os engenheiros agrônomos da Emater, Ênio Ângelo Todeschini e Gustavo Aires, as perdas não se deram somente pela seca, mas também pelo excesso de chuvas que caiu durante a brotação de algumas culturas, causando o apodrecimento da planta, impedindo a floração.

Segundo Todeschini, que responde pela área técnica na região, o milho já contabiliza perdas de 35% e as cidades mais atingidas foram Paraí, Serafina Corrêa, Nova Bassano e Guaporé. Já na produção da uva a perda chega na casa dos 20% e as cidades mais atingidas foram Monte Belo do Sul, Santa Tereza, São Valentin do Sul e Guaporé. As frutas de caroço, como o pêssego e a ameixa também tiveram perdas, mas não comprometeram a produção.

Em Farroupilha, segundo o engenheiro agrônomo Gustavo Aires, a Emater projeta uma perda de 20% com a safra da uva e 10% nas outras culturas. As olerícolas, muitas por serem produzidas com irrigação e com cobertura, não sofreram com a falta da chuva.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!