O presidente da Cooperativa Terra Nossa, Ademir Black está sugerindo ganhar um salário para administrar o grupo. Conforme Black, ele dedica todo o seu tempo para gerir a cooperativa, estudar a parte jurídica que envolve a empresa e ainda recebe associados em sua casa para tirar dúvidas e esclarecer a situação atualizada da Terra Nossa.

O presidente afirmou que haverá a demora por parte da justiça para resolver o caso. “Não adianta as pessoas pressionarem para receber o dinheiro de volta, porque essas pessoas já foram enganadas por mais de uma década. Agora, estamos fazendo o possível e impossível para que essas pessoas não sejam mais enganadas”, explicou.

Ele destacou que hoje o trabalho que ele realiza, alguém deveria fazer e se fossem procurar no mercado alguém que fizessse esse trabalho, não encontrariam. “Logicamente eu vou cobrar o meu trabalho”, pontuou.

Atualmente, a Cooperativa Terra Nossa conta com três mil associados. As pessoas que tiverem dúvidas podem entrar em contato pelo telefone (54) 9 9254-6657 ou 9 958-4673.

Meu pedaço de Chão

O presidente da cooperativa, Clonir Worm, ainda precisa entrar contato com a direção para realizar o recadastramento. A cooperativa já conseguiu recadastrar 250 pesssoas. De acordo com o presidente, provavelmente nos próximos dias as contas da empresa serão liberadas.

Posteriormente, Worm realizará uma assembleia com o secretário do Meio Ambiente, Tiago Ilha, para explicar qual é a situação ambiental dos terrenos. “O objetivo é esclarecer logo e fazer um projeto”, contou.

Atualmente a cooperativa conta com 500 associados, 44 hectares de terra, sendo que oito estão liberados para a construção de casas. Os terrenos estão localizados em Nova Sardenha e Linha Machadinho. O associado que quiser esclarecer dúvidas deve entrar em contato pelo telefone (54) 9 9168-1211.

Ouça os áudios abaixo 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!