O representantes das empresas que apresentaram para o Executivo Municipal os relatórios da Proposta de Manifestação de Interesse (PMI) para tratar o assunto água e saneamento básico em Farroupilha, concederam entrevista à Spaço FM e detalharam algumas informações sobre o estudo realizado e os cenários que o município poderá optar para a execução das obras.

O diretor presidente da empresa Ysanso/Aviva, Ítalo Joffily destacou que os trabalhos serão desenvolvidos em três tópicos, sendo eles jurídico, econômico financeiro e técnico operacional. Joffily apresentou como proposta que num prazo de 13 anos o município terá o esgotamento sanitário coletado e tratado, e em quatro a cinco anos a qualidade e abastecimento da água administrada.

Segundo o diretor, serão investidos R$ 213 milhões, sendo R$ 150 milhões na coleta e tratamento do esgoto e o restante no tratamento e distribuição da água.

Os representantes do Grupo Maciel Russell Bedford, os engenheiros Luiz Staut e Mirela Miorin tem como proposta um investimento de R$ 156 milhões, onde R$ 80 milhões serão investidos na coleta e tratamento do esgotamento sanitário num prazo de 10 anos. O restante será investido no tratamento e distribuição da água.

De acordo com a proposta apresentada pelo Grupo Maciel Russell Bedford, os investimentos podem ser aplicados em três cenários diferentes. O primeiro em concessão comum, onde a empresa vencedora assume todos os riscos e investimentos. O segundo cenário seria através de uma Parceria Público Privada (PPP), em que o município fica com 50% dos riscos e investimentos e os outros 50% com a iniciativa privada. No cenário três, a gestão seria compartilhada entre o município, que assume 30% e a empresa vencedora, 70% dos riscos e investimentos.

Confira a entrevista no áudio abaixo

 

 

Áudios

Deixe o seu comentário!