O diretor operacional da Ecofar, empresa responsável pelo recolhimento de resíduos urbanos da cidade de Farroupilha, Paulo de Castro, comentou sobre a demora no conserto de muitos contêineres que estão com avarias provocadas pelo uso contínuo. Os equipamentos apresentam as tampas quebradas, alguns sem as rodas e muitos com rachaduras.

Conforme Castro, a falta de matéria-prima no mercado, ocasionada pela pandemia, tem causado a demora no conserto e na manutenção necessárias aos contêineres.

O diretor lamentou ainda a queima de alguns equipamentos, provocado por vândalos. Somente neste final de semana quatro contêineres foram incendiados e destruídos no município deixando um prejuízo de cerca de R$ 10 mil aos cofres públicos.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!