O ex-presidente da Câmara de Indústria Comércio Serviços e Agronegócios de Farroupilha (Cics), Daniel Bampi comentou em entrevista à Spaço FM sobre a posição da entidade, na tentativa de evitar um possível rompimento de contrato do município com a Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan).

O problema com a falta de água é constante na cidade e não existe tratamento do esgoto sanitário, o qual está em contrato. A administração municipal vem realizando audiências públicas nos bairros com o objetivo de colher opiniões da comunidade sobre a qualidade dos serviços prestados pela companhia responsável pelo abastecimento de água potável no município. O secretário de Meio Ambiente, Tiago Ilha vem orintando as pessoas a registrarem boletim de ocorrência contra a Corsan por pagarem um serviço que não estão recebendo.

Conforme Bampi, a Cics solicitou que o jurídico da entidade, através do presidente da OAB Subseção Farroupilha, Maurício Bianchi e do advogado Rafael Colloda, analisassem o contrato para terem um posicionamento. "Que a Corsan tem prestado um serviço que não está de acordo é indiscutível, mas é temerário um rompimento de contrato porque a gente não sabe o que vai acontecer”, ressaltou.

O ex-presidente afirmou ainda que a entidade não está na defesa da companhia, mas sim, evitando que Farroupilha possa contrair uma dívida milionária como ocorreu com outros municípios que romperam o contrato com a empresa e hoje são obrigados a pagarem indenizações que ultrapassam a casa dos milhões de reais. "Nós não apoiamos a Corsan, o que avaliamos é de forma técnica a situação do contrato e o risco que um rompimento pode proporcionar ao município daqui alguns anos”, alertou.

Bampi explicou que a Cics já vem conversando com a direção da Corsan sobre os problemas que Farroupilha está enfrentando com a empresa e que a diretoria da estatal tem demonstrado interesse em manter os serviços na cidade. "Eles estão disponíveis a negociar o contrato”, finalizou.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!