Os sindicatos que representam os trabalhadores em seus mais diversos segmentos, através de seus representantes, defendem o decreto estadual emitido pelo governador Eduardo Leite, o qual determina o fechamento do comércio até 15 de abril, como medida preventiva de isolamento contra o coronavírus.

Em Farroupilha, a presidente do Sindicato dos Empregados no Comércio, Cristiane Colombo ressaltou que entende a fragilização da economia, mas a saúde e a vida dos trabalhadores está acima de interesses econômicos. "Quem é que vai assinar um termo de responsabilidade se algum trabalhador se infectar com o coronavírus?”, questionou.

Para o assessor jurídico do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Alimentação de Caxias do Sul, Renato Bretanha, a entidade está cumprindo as orientações dos órgãos mundiais da saúde, do Ministério da Saúde, e o que estabelece os decretos que determinam o isolamento com o fechamento do comércio.

Ele enfatizou que o sindicato vê como prioridade a vida das pessoas e que a questão econômica se resolve num segundo momento.

A secretária geral do Sindicato dos Trabalhadores na Construção Civil e Mobiliário de Farroupilha, Rosieli Rigatti, ressaltou que o trabalhador da construção civil não paralisou as atividades, mas destacou que a entidade defende o decreto estadual.

O secretário do Sindicato dos Metalúrgicos em Farroupilha, Eleonir Peliciolli também informou que o sindicato é contra a abertura do comércio no município, prevista para a próxima segunda-feira, 6 de abril.

Confira abaixo na galeria de áudios

Áudios

Deixe o seu comentário!