As obras de restauração da Estação Férrea iniciaram na manhã desta quarta-feira, 12, no Largo Carlos Fetter em Farroupilha. As obras contam com um investimento 885.390,81 do sistema Pró-Cultura RS da Secretaria de Estado da Cultura. O projeto começou a ser elaborado em 2016, a partir de uma iniciativa da Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Farroupilha. A previsão de entrega é de seis meses. 

O presidente da CDL, Juliano Tofolo, e o 2º diretor financeiro, Altair de Oliveira, explicaram quais são os próximos passos das obras. “Vai ser o restauro somente da estação em um primeiro momento. Temos um projeto para cercar toda aquela área, Fazer um paisagismo”, ressaltou Tofolo.

No local, funcionará um centro de atendimento ao turista, um memorial, uma biblioteca e um Bistrot. A contrapartida da entidade prevê oficinas voltadas à preservação do patrimônio público. “Ele vai ter que se auto sustentar. A gente quer que aquele lugar tenha vida própria. Ele tem que ser ocupado pelos municípes”, destacou Oliveira.

O projeto de restauro também abrange um cercamento da área pertencente ao CDL. A Feira Livre do Produtor não será alterada e sim a entidade quer melhorar a comercialização.

O chefe de Gabinete  do Executivo Municipal, Vandré Fardin comentou sobre a importância do restauro e explicou que Farroupilha passa por um novo momento, onde o local será mais um atrativo para o município.

As arquitetas Cristiane Rauber e Juliana Betemps, são as responsáveis técnicas pela execução do projeto de restauração e explicaram que por ser um patrimônio tombado pelo município, a restauração tem que seguir algumas regras e que na edificação não pode haver modificações que possam alterar a originalidade do projeto existente. Segundo elas, o projeto exigiu muito estudo, mais isso faz parte de uma obra que deve ser feita em uma edificação tombada como patrimônio histórico.

O produtor cultural do projeto, Daniel Henz, destacou a captação de recursos e a parceria das empresas para a realização da obra. Ele explicou da importância da obra para a cidade e das etapas que o projeto passará até a sua conclusão. Ele comentou que apesar da obra estar orçada em mais de R$ 885 mil, ela já ultrapassa a casa de R$ 1 milhão, pelas benfeitorias que já recebeu anteriormente.

A Estação Férrea Nova Vicenza fez parte de um trajeto que ligava Montenegro a Caxias do Sul e foi inaugurada em junho de 1910. A Estação possui uma ligação muito forte com a própria criação de Farroupilha em 1934, uma vez que sua construção contribuiu para o desenvolvimento demográfico na região.

No final de 1970, o trêm deixou de circular pela região, embora oficialmente a linha não tenha sido extinta. O prédio, tombado pelo município, ainda preserva seu valor histórico-cultural e foi alvo de depredações ao longo dos anos.

OUÇA O ÁUDIO ABAIXO 

 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!