O apicultor Vandré dos Santos voltou a denunciar a mortandade de abelhas. Ele destacou que perdeu quase 50% de seu apiário no interior de Farroupilha em virtude de envenenamento dos insetos.

Santos pediu providência às autoridades responsáveis como a Polícia Ambiental. “Existem leis no Brasil que matar abelhas é crime ambiental e o responsável tem que ser multado. Nós fazemos esforço para depois ver tudo morrer por envenamento de pessoas que não estão aí para os bichinhos que são importantes para a humanidade”, explicou.

Leia mais 

Ministério Público pede suspensão do uso de inseticida que matou cerca de 400 milhões de abelhas no Rio Grande do Sul

Apicultor afirma que mortandade de abelhas está ligada a falta de informação no uso de agrotóxicos

Apiários são envenenados no interior de Farroupilha

O apicultor afirmou que as causas da mortandade de abelhas são os agrotóxicos, entre eles está o Fipronil. Esse inseticida foi alvo de um pedido de suspensão do uso por parte do Ministério Público em agosto do ano passado. Conforme o Laboratório Oficial do Ministério da Agricultura (Lanagro), de 43 amostras analisadas, 38 apresentaram presença de agrotóxicos e 36% dos casos têm relação direta com o uso do Fipronil.

O apicultor já havia denunciado a prática em setembro de 2019. Na época ele informou que a mortandade de abelhas poderia estar ligada a utilização de agrotóxicos em plantações. No apiário, Santos tem espaço para criar pelo menos 500 enxames.

Importância de abelhas para o ser humano

A vida das abelhas é crucial para o planeta e para o equilíbrio dos ecossistemas, já que na busca do pólen, sua refeição, estes insetos polinizam plantações de frutas, legumes e grãos. Sem abelhas não há polinização, afetando diretamente reprodução da flora. Isso resulta na inexistência de animais. Sem animais, não haverá seres humanos.

OUÇA O ÁUDIO ABAIXO 

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!