O município de Farroupilha tornou público no Diário Oficial, nesta terça-feira, 11, a nulidade do Pregão Eletrônico nº 31/2019 e do Contrato Administrativo de Prestação de Serviços nº 436/2019, que previa a contratação do novo software de gerenciamento da saúde pública na cidade.

A nova plataforma que foi desenvolvida pela empresa vencedora no processo licitatório quando apresentada ao público, não obteve a aprovação da comunidade, através das entidades de classe.

Na oportunidade foi questionada a eficácia e o alto custo de R$ 3,3 milhões e mais R$ 196 mil mensais para a manutenção do sistema. Uma comissão composta por sete servidores municipais, que analisou o contrato para a aquisição do novo software, concluiu também que houve ilegalidades.

O município que já havia pago em dezembro de 2019, R$ 1.690 milhão, e agora com a nulidade do contrato busca também o ressarcimento deste valor.

Com a publicação no Diário Oficial do Município, a empresa passa a ser intimada para todos os fins de direito. Cabe a ela, num prazo de cinco dias úteis, entrar com recurso.

O vereador líder do governo na câmara, Fabiano Piccoli (PSB) comentou sobre a decisão do cancelamento do contrato e ressaltou que se encerra mais um capítulo do que considerou uma triste história na vida dos farroupilhenses.

Confira no áudio abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!