A Brigada Militar (BM) e as lideranças da comunidade, Francisco Brunetta, Fernando Mônego, Odir Crocoli e os padres Jocimar Romio e Renan Dall Agnol, representando o santuário, se reuniram na noite desta terça-feira, 29, para discutir formas de evitar as ocorrências de perturbação do sossego público registradas no local nos últimos dias. De acordo com a BM, além das denúncias de aglomerações, há pessoas embriagadas, fumando maconha, com som alto inconveniente com a realidade e finalidade do complexo.

O problema acontece quando os baderneiros se misturam às famílias e pessoas que necessitam utilizar o santuário. Com isso, ainda importunam com som alto, muitas vezes ficam provocando e debochando das pessoas, então se faz necessária a intervenção da BM, como tem ocorrido nos últimos finais de semana, com aplicação de multas, recolhimento de veículos e apreensão de equipamentos de som.

O 36º Batalhão de Polícia Militar (BPM) pretende atuar de forma mais incisiva, fiscalizando o local, abordando os veículos que se deslocam ao complexo e identificando ocupantes.

A comunidade também solicitará à prefeitura a instalação de câmeras de monitoramento, quebra-molas e redutores de velocidade. Além disso, promoverão uma campanha de conscientização.

Leia Também

Deixe o seu comentário!