Documentos e computadores foram apreendidos e levados da casa do atual presidente do Mocovi, Glacir Gomes na manhã desta quinta-feira. A ocorrência fez parte da segunda etapa da Operação Pássaro de Fogo, que investiga irregularidades na administração do Movimento Comunitário de Combate a Violência. A informação foi repassada pelos promotores Jeanine Mocelin e Ronaldo Lara Rezende durante o Fim de Expediente desta quinta-feira. Ainda de acordo com eles, recaem sobre Glacir acusações de falsidade ideológica através de notas fiscais, extorsão e estelionato. Uma medida cautelar foi registrada e afastou Glacir Gomes da presidência da entidade. A Operação ainda recolheu documentos em três outros locais, entre eles duas empresas e a sede do Mocovi. Levado a Delegacia de Polícia por ter em casa um revólver com o registro vencido, Glacir pagou fiança de R$1.500 e foi liberado.

Ouça a manifestação dos Promotores na íntegra.




 

Deixe o seu comentário!