Em entrevista para a Rádio Spaço FM, o promotor de Farroupilha, Ronaldo Lara Resende, comentou sobre as ações de improbidade administrativa no Hospital São Carlos, as quais evita dar explicações. “Se eu for parar para falar sobre todos escândalos e absurdos que tem na cidade, eu não vou nem dormir”, afirmou.

Conforme o promotor, antes que a ação seja aceita e comece a andar, existe um trâmite processual que tem que ser respeitado. Além disso, há um grande número de processos para um juiz decidir. Ele destacou que a ação está tramitando normalmente e poderá levar até três anos para ser resolvida.

Resende contou que as interferências políticas para mudar o quadro da diretoria do hospital a fim de alterar o estatuto é o principal problema no caso. O promotor também ressaltou que a questão financeira deverá ser analisada antes de ser citada na ação de improbidade.

Ao final da entrevista ele ainda salientou que quando se envolve em casos do tipo, evita ficar comentando pois passa a ideia de estar perseguindo as pessoas pelo viés político. “Se fez o troço errado, pouco me importa se é de extrema direita, se é de extrema esquerda, não me interessa, vai responder processo igual”, pontuou.

Confira a entrevista abaixo

Áudios

Deixe o seu comentário!