O presidente da Sociedade Médica de Farroupilha (Farmed), Felipe Hertz, participou de uma entrevista por telefone na manhã desta quinta-feira, 9, onde comentou sobre o novo decreto publicado pela administração e assinado prelo prefeito Claiton Gonçalves nesta quarta-feira, 8. Hertz comentou que integrantes da sociedade entregaram para a administração uma série de sugestões para que fossem incluídas no decreto e que facilitariam a compreensão e a prática do que foi determinado no documento. “Esse decreto é tão absurdo e é tão irregular, além de prejudicar toda a população na assistência médica, inviabiliza o atendimento comercial na cidade”, destacou.

De acordo com o presidente, apenas uma das medidas sugeridas foi retirada da publicação, que foi a utilização de propé nos estabelecimentos, que é uma proteção de tecido para os pés. Desta forma, pessoas com algum problema de mobilidade que utilizassem este equipamento poderiam sofrer uma queda com consequências mais graves. “O que o prefeito fez foi inviabilizar o comércio”, ressaltou.

Hertz salientou que as determinações estipuladas para a classe médica neste documento descumprem pelo menos três itens básicos das normas estabelecidas no país. Uma delas é a questão de atendimento de apenas um paciente por hora, sem possibilidade de encaixe. Ele explicou que desta forma descrita na peça, os profissionais não poderão atender casos de emergência que podem acontecer em seus consultórios. “Ele não leu o decreto da sua própria profissão”, enfatizou.

Durante sua manifestação, Hertz citou uma das recentes entrevistas que o prefeito concedeu para a Rádio Spaço FM, onde ele citou que ainda faz parte da Farmed, se apropriando da associação. O médico contou que por inadimplência Claiton não faz mais parte da sociedade desde 2014. “Certamente os médicos da cidade têm vergonha do profissional que aí está”, enfatizou.

Ao final o presidente enfatizou que o documento prejudica as atividades de grande parte da população. “Esse decreto é do tamanho da megalomania do gestor municipal, depois que voltou a atividade só tem atrapalhado a gestão pública tentando levantar cortinas de fumaça para algumas coisas que nós não sabemos, falando inverdades e mentiras para a população”, declarou.

OUÇA A ENTREVISTA NO ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Leia Também

Deixe o seu comentário!