A constante presença de crianças nas sinaleiras de Farroupilha incomoda a promotoria que já estuda formas de solucionar o problema. No Panorama desta segunda-feira, a promotora Cláudia Formolo Balbinott confirmou o contato com o Ministério Público Federal, responsável por acompanhar os casos que envolvem povos indígenas. A ideia é promover uma reunião com a Funai e caso houver necessidade notificar os pais das crianças que pedem esmolas no centro

Acompanhe no áudio abaixo. 

Áudios

Deixe o seu comentário!