Por protocolação de ação civil pública na tarde desta quinta-feira, 7, o Ministério Público (MP) pediu interdição física e lacramento de sete casas noturnas de Farroupilha, em função de irregularidades estruturais referentes a prevenção de incêndio e saídas de emergências. São elas: Clube do Comércio, Clube Santa Rita, Clube 1° de Maio, Muinho Bar, Boteco do Chá, Tequilas e Cantinho do Lazer.
O promotor responsável pela ação, Ronaldo de Lara Resende, participou do Fim de Expediente e explicou o procedimento. A decisão caberá à juíza Maria Cristina Rech, e deve sair nesta sexta. Caso seja acatado o pedido do MP, os locais citados no processo não poderão realizar festa de carnaval. Segundo Resende, a decisão de pedir lacramento partiu após de desobediências de três casas, que promoveram eventos mesmo com as notificações do Corpo de Bombeiros.
A liberação das festas de carnaval depende da adequação dos espaços à normatização e providências notificadas pelas autoridades.

 

Confira a entrevista na galeria de áudios abaixo. 

Deixe o seu comentário!