Na Linha Alencastro o arroio Vicentina forma uma grande lagoa que serve de bebedouro para animais, além de ser o ambiente de diversas espécies de peixes. Morador da localidade, Arthur Vander relata que não é primeira vez que a água fica escura e com cheiro forte nesta época do ano. Na manhã de hoje, Vander recolhia os peixes mortos, e com um pedaço de madeira, tentava levar os que sobreviviam a uma faixa limpa de água que ainda restava no local.

Segundo ele, isso está ocorrendo a mais de 15 dias. Em contato com os órgãos responsáveis, Vander diz que recebeu a visita dos técnicos, mas que nada podem fazer antes da publicação de um laudo sobre os acontecimentos. O Panorama de hoje ouviu o relato de Vander que teme pelos seus animais que bebem daquela água, e também sobre os peixes de médio porte que aparecem mortos ao longo do arroio. 

 

Confira na galeria de áudios abaixo.

 

Deixe o seu comentário!