Amparado no principio da igualdade, previsto no artigo 5º da Constituição, Juiz Mário Maggioni iniciou recentemente uma campanha para que mulheres não mudem seu nome após o casamento. A medida é uma recomendação para que a alteração não cause desconfortos no futuro, caso uma separação venha a ocorrer, por exemplo. No trecho reproduzido no Panorama desta segunda-feira o juiz citou as frequentes retificações solicitadas por mulheres nas certidões de nascimento dos filhos.

 

Acompanhe a entrevista na galeria de áudios abaixo. 

Áudios

Deixe o seu comentário!