O prefeito de Cachoeirinha, Miki Breier (PSB) foi afastado do cargo por 180 dias pelo Ministério Público (MP) nesta quinta-feira, 30, por suspeita de estar envolvido em um esquema de propina de contratos públicos com uma empresa de limpeza urbana. Além de Breier, outros seis integrantes do Executivo também terão que cumprir a determinação.

Breier se manifestou através de uma rede social afirmando que está tomando todas as providências cabíveis para elucidar os fatos e destacou que a verdade irá prevalecer.

A prefeitura também emitiu uma nota de esclarecimento explicando sobre as recomendações da justiça como a suspeição e revisão de contratos. O vice-prefeito Mauricio Medeiros assumiu ainda nesta quinta a gestão da prefeitura.

A operação do MP tem o apoio do Ministério Público de São Paulo, que cumpriu 18 mandados de busca e apreensão em Cachoeirinha, Gravataí, Charqueadas, Porto Alegre e no estado de São Paulo, na capital e em Itu. Em Cachoeirinha os mandados foram cumpridos na prefeitura, nas residências de políticos, servidores e empresários. Todos são investigados por corrupção ativa e passiva, responsabilidade, desvio de verba pública, dispensa indevida de licitação, fraude em licitação, lavagem de dinheiro e organização criminosa.

O MP também estabeleceu a proibição de contato entre investigados e desses com servidores públicos e empresários, a proibição de acesso dos agentes públicos afastados e empresários à sede da prefeitura e a suspensão imediata dos contratos emergenciais referentes aos serviços de coleta manual e mecanizada de resíduos sólidos urbanos firmados no município. A investigação aponta desvios milionários e se estima que 45% do valor era desviado em contratos de limpeza urbana, conservação e manutenção de próprios e logradouros públicos de 2017 até maio de 2021.

Nota de Esclarecimento da prefeitura

Em face a uma decisão judicial, o atual vice-prefeito de Cachoeirinha, Mauricio Medeiros, assume a gestão municipal a partir desta quinta-feira (30) pelo prazo de 180 dias.
A Prefeitura de Cachoeirinha esclarece que seguirá colaborando com total transparência e abertura com os órgãos de controle, com o Ministério Público e com a Justiça para elucidação dos fatos.
O Município adotará todas as recomendações judiciais, tais como suspensão e revisão de contratos questionados.
Além dos esclarecimentos necessários, a prioridade da gestão é buscar soluções para que o cidadão e a cidade não sejam prejudicados com a descontinuidade de serviços.

Manifestação do prefeito Miki Breier

"Em relação ao meu afastamento por 180 dias da Prefeitura, informo que estou tomando todas as providências para esclarecer e me defender da decisão judicial que determinou a medida. Sempre tratei todos os processos e questionamentos — sejam de órgãos de controle, da Câmara ou do Ministério Público — com transparência, sem nunca criar obstáculo para a elucidação de qualquer fato. Aliás, sou eu o maior interessado que tudo seja esclarecido em sua plenitude. Tenho convicção de que, ao final, a verdade irá prevalecer."

Deixe o seu comentário!