A RGE transformou o cenário energético do Hospital Beneficente São Carlos, em Farroupilha. A ação de Eficiência Energética, que faz parte do Programa RGE nos Hospitais, tem como objetivo modernizar o sistema de iluminação de instituições de saúde instalando usinas de geração de energia solar e substituindo lâmpadas comuns por unidades com tecnologia LED. A obra já está concluída e teve investimento de R$ 876 mil por parte da distribuidora.

Com a instalação da nova usina solar, a RGE estima que a instituição tenha uma economia de 117 MWh (megawatt-hora) ao ano, equivalente a aproximadamente R$ 180 mil ao ano na fatura de energia.

Segundo a analista do Programa de Eficiência Energética da RGE, Letícia Dotta Rech, o sistema implementado na Fundação Hospitalar de Rolante é altamente tecnológico. “É um ganho muito significativo em termos de consumo de energia, economia financeira e avanço de novas tecnologias. A usina de geração de energia opera de maneira totalmente automatizada e produz energia de qualidade. Com isso, o hospital poderá destinar o valor economizado das contas de energia para outras áreas da instituição, beneficiando todos os usuários e funcionários”, comenta Letícia.

Plano de Sustentabilidade:

Essa e outras ações fazem parte do pilar Valor Compartilhado do plano de sustentabilidade da CPFL Energia, que prevê aplicar até 2024 mais de R$ 1,8 bilhão para impulsionar a transição para uma forma mais sustentável e inteligente de produzir e consumir energia. Dessa forma, vai maximizar os resultados positivos na comunidade e na cadeia de valor, além de reduzir os impactos gerados pela natureza do seu negócio.

Entre as instituições beneficiadas em São Paulo estão: Hospital de Amor, em Barretos; Hospital de Base de São José do Rio Preto (FUNFARME); Unidade de Pronto Atendimento (UPA) de Vinhedo; Santa Casa de Araraquara; Hospital das Clínicas de Ribeirão Preto; Santa Casa de Ibitinga; Hospital Nestor Goulart Reis, de Américo Braziliense, Hospital de Clínicas da UNICAMP, em Campinas. Já no Rio Grande do Sul, receberam o projeto o Hospital de Caridade de Santo Cristo, em Santo Cristo; a Santa Casa de Caridade de Uruguaiana; Hospital Centenário de São Leopoldo, a Santa Casa de Misericórdia de Santana do Livramento; a Fundação de Saúde Pública de Novo Hamburgo; a Associação Franciscana de Assistência, de Gramado; e o Hospital de Caridade de Erechim.

Segundo pilar – compreende projetos endossados pelo Instituto CPFL divididos em dois eixos: humanização e melhorias. Em humanização, os investimentos objetivam tornar o ambiente hospitalar mais leve e descontraído para pacientes, familiares e profissionais de saúde, agregando brincadeiras, humor e contação de histórias. O eixo de investimentos em melhorias atua na infraestrutura e na aquisição de equipamentos com foco no atendimento oferecido por hospitais públicos. Este eixo também apoia a formação, o treinamento e o aperfeiçoamento de recursos humanos em todos os níveis, além da realização de pesquisas clínicas, epidemiológicas, experimentais e socioantropológicas.
Em 2020, em uma ação especial de combate à COVID-19, o Instituto CPFL coordenou a destinação de R$ 5 milhões de reais em insumos médicos, beneficiando 20 hospitais, além de doar mais R$ 1 milhão ao programa “Salvando Vidas”, do BNDES.

Na temporada 2021 do Instituto CPFL, a frente CPFL e RGE nos Hospitais está presente em 28 instituições de 18 diferentes cidades.

Terceiro pilar – permite aos clientes realizar doações para as instituições de saúde por meio da conta de energia. Isso aumenta a arrecadação dos hospitais, permitindo investimentos na melhoria das condições de atendimento. Por meio da CPFL Total, empresa que faz a gestão de doações via conta de energia, R$ 4,2 milhões foram doados por clientes das distribuidoras do grupo a 105 hospitais.

Reconhecimento. Em 2021, o programa CPFL e RGE nos Hospitais foi reconhecido pela Organização das Nações Unidas (ONU) como um exemplo de boa prática ligada aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS). O reconhecimento se deve à integração dos indicadores ambientais, sociais e econômicos gerados pelo CPFL e RGE nos Hospitais, que contribuem diretamente para os ODS, como garantir a distribuição de energia acessível, sustentável e moderna e promover o bem-estar e vida saudável a todos. O presidente da CPFL Energia, Gustavo Estrella, é embaixador pelo programa Liderança com Impacto da ONU.

O programa CPFL e RGE nos Hospitais faz parte do pilar Valor Compartilhado do plano de sustentabilidade da empresa, que prevê aplicar até 2024 mais de R$ 1,8 bilhão para impulsionar a transição para uma forma mais sustentável e inteligente de produzir e consumir energia, maximizando impactos positivos na comunidade e na cadeia de valor, além de reduzir os impactos gerados pela natureza do seu negócio.

Deixe o seu comentário!