O senador do Partido Progressista (PP), Luís Carlos Heinze foi o palestrante do 'Jantando com a Cics' desta sexta-feira, 19. O evento ocorreu no Restaurante Parque dos Pinheiros, em Farroupilha, e contou com a presença de empresários e lideranças da Serra Gaúcha. Heinze abordou o tema 'Perspectivas econômicas e de infraestrutura para o Rio Grande do Sul', e comentou sobre sua trajetória e o cenário político brasileiro.

O senador participou de uma entrevista exclusiva durante o programa da Rádio Spaço FM, Fim de Expediente, antes da reunião. Ele estava acompanhado do presidente da entidade, Daniel Bampi, que durante o jantar entregou ao senador uma carta com demandas do município e da região como infraestrutura das rodovias, saúde, entre outros. Na entrevista Heinze tratou diversos assuntos que estão sendo tratados no senado e a sua participação ativa no estado gaúcho. Heinze chegou ainda na quinta-feira, 18, e passou por diversas cidades onde recebeu reivindicações da comunidade.

Uma das questões em que o senador está trabalhando é a do aeroporto regional de Vila Oliva, no interior de Caxias do Sul. Ele conversou com os proprietários das terras para orientar como será a negociação para a instalação do campo de aviação. O político contou que o empenho de cerca de R$ 1,2 milhão será realizado para a elaboração do projeto que deve ser apresentado em 2020.

Outra novidade exposta por Heinze foi a concessão do Parque Aparados da Serra, na região de Cambará do Sul, que será lançada até o início de agosto. O projeto busca desenvolver o ecoturismo.

Sobre a questão do aumento na cobrança da energia elétrica para a população, o senador abordou o tema como geração de energia. Ele explicou que existem iniciativas que estão sendo trabalhadas para transformar lixo em energia. Heinze pretende buscar através do ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, as licenças ambientais para que essa geração seja realizada nos municípios, o que poderá diminuir os valores pagos pela população.

Em relação à Reforma da Previdência, o político destacou que as lideranças dos estados devem se envolver e cobrar de seus indicados em Brasília para que o projeto tenha um desfecho positivo para o país. “Os empresários, os prefeitos, os governadores tem que cobrar de seus deputados e senadores”, destacou.

OUÇA A ENTREVISTA NA ÍNTEGRA

Deixe o seu comentário!