O novo juiz de direito de Farroupilha, Enzo Carlo Di Gesu, participou do programa Fim de Expediente desta terça-feira, 6, e destacou suas metas de trabalho a frente da vara criminal do município. “Eu sempre prezo por uma justiça mais humanizada”, salientou. O magistrado também comentou sobre sua formação em direto que foi pela Universidade Federal de Rio Grande (Furg), é pós-graduação em Ciências Criminais e agora está se formando na área de justiça humanizada na Universidade de Caxias do Sul (UCS).

Ele iniciou a sua magistratura em 2014 passando quatro anos e meio no Fórum do município de Arvorezinha e até o final de 2020 estava atuando na comarca de Flores da Cunha. O juiz explicou que em sua atuação no Fórum florense ele deixou todas as demandas em dia e em Farroupilha a vara criminal, onde ele irá atuar também não apresenta atrasos.

Durante sua explanação ele comentou sobre o funcionamento do Poder Judiciário no estado que está seguindo as determinações do governo do Rio Grande do Sul e não as medidas de cogestão. Desta forma, os atendimentos presenciais não estão permitidos, mas em contra partida os atendimentos virtuais foram priorizados, por e-mail e também por WhasApp onde se houver necessidade o público pode ser atendido por um chamada de vídeo, facilitando o contato com o judiciário.

Di Gesu contou que a única demanda que está reprimida são as audiências presenciais que no momento não podem ser realizados. Ele acredita que com a diminuição de casos de coronavírus e uma situação mais calma nos hospitais do estado estes casos serão retomados.

OUÇA A ENTREVISTA NO ÁUDIO ABAIXO

Áudios

Deixe o seu comentário!